Sebrae Minas oferece consultoria para investimentos em energia solar

O serviço inclui orientação para o planejamento de usinas fotovoltaicas e tem custo subsidiado pelo Sebraetec, que cobre até 70% do valor do projeto

A utilização da energia solar é mais barata que a energia fornecida pelas concessionárias, além de ser de uso renovável e sem prejuízo ao meio ambiente. Para auxiliar os empresários de Micro e Pequenas Empresas (MPE) interessados na geração de energia solar fotovoltaica para consumo próprio, o Sebrae Minas está oferecendo consultoria especializada. O serviço inclui orientação para o planejamento de usinas fotovoltaicas e tem custo subsidiado pelo programa de consultoria tecnológica do Sebrae (Sebraetec), que cobre até 70% do valor do projeto.

Com o objetivo de apresentar a iniciativa aos empresários da região interessados em investir no setor, será realizada em Montes Claros, no dia 13 de julho, às 15h, uma reunião de estudo. Incialmente são oferecidas 10 vagas com possibilidade de ampliação. “Conhecer as melhores alternativas de negócio em relação ao investimento em energia solar é fundamental para que o empresário consiga as melhores negociações”, afirma a analista do Sebrae, Minas Jacyle Souza.

A consultoria abrange um Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica Solar (EVTE), que reúne informações sobre eficiência energética, adaptação de infraestrutura para geração de energia solar, avaliação do potencial de energia solar térmica, usinas fotovoltaicas individuais e coletivas, e indicações de integradores de usinas.

Responsável pelo projeto de Energia Solar Fotovoltaica em Minas Gerais, o analista do Sebrae Minas, João Paulo Palmieri destaca a importância de os empresários estarem atentos a essa tecnologia. “A implantação de micro e mini usinas de geração distribuída, de forma individual ou consorciada, possibilita o aumento da eficiência energética dos pequenos negócios, diminuindo custos de uma forma sustentável”, enfatiza.

Potencial

A energia solar fotovoltaica representa, hoje, apenas 0,02% da oferta energética do país, enquanto a energia hidráulica, gerada pelas hidrelétricas, responde por 65% do consumo. A previsão é de que, em 2024, a utilização da fotovoltaica salte para 3,3%, o que significaria um aumento 200 vezes superior ao patamar atual. Em um ano, o número de conexões de micro e mini geração de energia tiveram um rápido crescimento. São aproximadamente 17.334 conexões registradas no país em 2017, contra as 5.040 ligações registradas na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 2016, um crescimento de 244% em um ano.

Parceria

A inserção competitiva e sustentável dos pequenos negócios mineiros na cadeia de geração distribuída de energia solar fotovoltaica é alvo de uma série de ações cooperadas entre o Sebrae Minas, o Governo do estado e a Fiemg. Dentro dessa perspectiva foi assinado em abril do ano passado um protocolo de intenções entre Sebrae, Fiemg/Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), que prevê iniciativas em conjunto para o desenvolvimento do setor energético no estado.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *