Lições do Vale do Silício inspiram inovações em pequenos negócios paranaenses

Evento itinerante ocorreu em Curitiba na semana passada; startups locais que estiveram na Califórnia compartilham seu aprendizado para fomentar o empreendedorismo no País

O que os participantes de imersões na maior região de empreendedorismo inovador do mundo – o Vale do Silício, na Califórnia – têm a ensinar aos pequenos negócios paranaenses? Responder a essa pergunta foi o objetivo do evento Lições do Vale, realizado na sede do SEBRAE/PR, em Curitiba, na última sexta-feira, dia 24. Realizado no formato itinerante, o evento já passou por sete estados brasileiros, com a presença de importantes nomes da área de inovação, além de empreendedores locais que estiveram no Vale do Silício.

Em Curitiba, um dos palestrantes foi o engenheiro Eduardo Marques, da Construtech Venture, que falou sobre inovação em um mercado ainda tradicional: a construção civil. Dados trazidos por ele mostram que, na próxima década, com o crescimento das aglomerações urbanas, as emissões de carbono devem aumentar em 70% e o consumo de energia subirá 80%. “Teremos, ainda, 1,6 bilhões de pessoas sem moradia digna. Todos esses problemas precisarão ser resolvidos com inovação e tecnologia”, defende.

Segundo Marques, alguns startups têm proposto soluções simples, mas capazes de auxiliar o setor em seus desafios. “Para dar um exemplo, a Coteaqui é uma ferramenta online de cotação de materiais para construtoras. É necessário buscar pequenas inovações nessa linha, porque o construtor costuma olhar inovação como algo grandioso e acredita que isso não existe no setor. Mas são os pequenos passos que podem fazer grande diferença, como um método diferente de medição, por exemplo,”, pontua.

A consultora do Sebrae/PR Adriana Kalinowski, gestora dos projetos de construção civil da entidade na região de Curitiba, ressalta que existe demanda e muitas oportunidades para startups ligadas ao setor. “Inovação não é só software. As oportunidades são muitas e não estão distantes. Só é preciso ter sensibilidade para enxergar problemas que precisam ser resolvidos. Startups são necessárias ao mercado da construção civil”, acentua.

Outro palestrante foi Tiago Gavassi, cofundador da Bluezup, plataforma que permite testar os produtos por três dias antes da compra. “Se uma idéia atende três pilares – aumentar a performance, baixar o custo e diminuir o esforço –, a chance de romper com o modelo anterior é grande. Existe muita oportunidade para quem oferece serviços ou conteúdos customizados”, defende.

Fundadora das Lições do Vale, Graciele Moura Cielo (CEO da Nygra) explica que existe um enorme potencial de inovação no Brasil, e o que as startups do Vale do Silício estão fazendo pode trazer idéias que fomentem o empreendedorismo no País. “A idéia é que as startups locais que foram para lá falem de seus aprendizados. Uma das coisas valiosas é o networking. Essa diversidade de pessoas lá no Vale, com idéias e culturas diferentes, pode mudar os rumos de um negócio. A diversidade de pensamento é que faz um negócio rico”, afirma.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *