Empreeendedor fatura R$ 1 bilhão vendendo lixo

Startup criada por Nate Morris conecta empresas dispostas a gerir seus resíduos de forma correta a cooperativas de reciclagem

É praticamente impossível ter uma empresa que não gere lixo para o planeta. De olho neste problema, o empresário americano Nate Morris, de 37 anos, teve uma idéia de negócio: conectar empresas independentes de reciclagem a estabelecimentos que geram lixo.

Chamada de Rubicon Global, a startup foi lançada em 2009 e cobra uma taxa de assinatura mensal e anual dos transportadores de lixo que usam o aplicativo.

No ano passado, a Rubicon faturou R$ 1 bilhão. “Reduzimos os custos de reciclagem para nossos clientes e capacitamos as pequenas empresas. Nosso objetivo é criar soluções mais sustentáveis ​​para empresas e para o planeta”, diz Morris.

A Rubicon ainda ajuda as recicladoras a baratear seus custos: a startup fez parcerias com postos de gasolina, vendedores de autopeças e seguradoras para oferecer descontos às cooperativas.

A Rubicon já recebeu R$ 642 milhões em aportes. Entre os investidores, destaca-se o ator e ativista ambiental Leonardo DiCaprio.

Política

Morris é conhecido por não esconder suas preferências políticas. É republicano, chegou a fazer campanhas de arrecadação de fundos para o ex-presidente George W. Bush e foi eleitor de Donald Trump. “Estou incrivelmente esperançoso de que o presidente trará uma nova era para os Estados Unidos. Ele vai ajudar a criar e criar oportunidades para pequenas empresas americanas”, afirma.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *