7 Dicas para você bombar as vendas do seu comércio eletrônico

Conheça as melhores práticas de usabilidade para aumentar as taxas de conversão e transformar visitas em negócios

Atrair usuários para o seu e-commerce é fundamental, mas o trabalho do empreendedor não acaba aí. Para transformar a visita em venda, é preciso oferecer uma experiência agradável: o usuário precisa ser capaz de achar o que procura e realizar a compra em poucos cliques. É nessa hora que as técnicas de usabilidade fazem toda a diferença. “Se a empresa consegue atrair muita gente para o site, mas não fecha a venda, está jogando dinheiro fora”, afirma Caio Ribeiro do Valle, fundador da Adin Marketing. Segundo ele, o site deve ser organizado de maneira que o comprador não tenha que pensar muito. “Resolver o problema em poucas telas deve ser a prioridade do varejista”, diz Valle.

Um dos itens mais importantes para o sucesso do e-commerce é a organização das categorias de produtos. “A classificação deve seguir os processos mentais dos consumidores”, diz Edu Agni, designer e especialista em UX.

Ele recomenda o uso de técnicas de card sorting, em que usuários são convidados a agrupar cartões com produtos e depois criar rótulos para os grupos. Recursos de busca inteligente, comparação de artigos e resenhas de leitores colaboram para tornar a compra mais prazerosa. Mas a preocupação maior do varejista deve ser reduzir o número de telas — especialmente nos passos finais. “Não ofereça outros produtos nem o obrigue a fornecer mais dados do que o necessário”, diz Agni. “Assim fica mais difícil o cliente mudar de idéia no meio do caminho.”

Confira abaixo oito dicas para melhorar a taxa de conversão do seu comércio eletrônico.

  1. Facilite a busca

Cerca de um terço dos consumidores usa o recurso de busca. Oferecer sugestões de preenchimento, sugerir sinônimos e incluir a lista dos termos mais procurados são técnicas recomendáveis. A página de resultados deve incluir o número de produtos encontrados e permitir a organização com diferentes filtros (preço ou marca, por exemplo).

  1. Explique, não complique

Na hora de organizar os produtos, é preciso buscar equilíbrio entre a quantidade de categorias e o número de itens que cada categoria abriga. Depois, busque o melhor nome para cada categoria.

  1. Capriche nas fotos

Mostre o produto no fundo branco e em um ambiente. “Exibir fotos de um item em situações reais faz com que o comprador consiga imaginá-lo em seu dia a dia”, diz Agnim. “Trabalhe com três fotos em ângulos diferentes”, diz Guilherme Kruger, diretor de novos negócios da Avanti! Tecnologia e Marketing.

  1. Deixe as regras à vista

Exponha de maneira clara para o consumidor quais são as práticas do site, antes mesmo que ele defina a compra. “É importante explicar as políticas de frete e de devolução, dizer se o cliente terá condições especiais ao associar essa compra à de outro item e quais são as formas de pagamento”, afirma Ribeiro do Valle, da Adin Marketing.

  1. Dê espaço para a opinião

Boas fotos e descrições são fundamentais, mas nem sempre resolvem. Muitos usuários fazem questão de checar a opinião de outros compradores antes de decidir pela compra. Além de prever espaço para comentários, incentive os compradores a deixar suas impressões sobre os produtos adquiridos. Resenhas de especialistas também é uma boa pedida.

  1. Use tecnologias de apoio

Em lojas de moda, por exemplo, vale a pena investir em ferramentas que indiquem os tamanhos indicados, a partir dos dados informados pelo usuário. A dica também pode ser aplicada em outros setores. Sites que vendem ar-condicionado podem pedir ao usuário as características do espaço, para indicar os aparelhos adequados.

  1. Compare produtos

Para alguns segmentos, é estratégico oferecer um recurso de comparação de características entre dois ou mais produtos. É o caso de lojas especializadas na venda de smartphones, eletrônicos e eletrodomésticos. A ferramenta ajuda o consumidor no processo de decisão de compra, permitindo à loja virtual melhorar a conversão.

  1. Crie botões eficientes

Os botões de ação merecem atenção especial. “É importante que tenham cor contrastante com o site, para levar o consumidor ao próximo passo”, afirma Kruger. O rótulo do botão deve ser de clara compreensão. Para defini-lo, use testes A/B — em que duas opções são oferecidas aos usuários para que se chegue, estatisticamente, a mais eficiente.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *